Primeira etapa do Parque Tecnológico do DF é entregue à população

O Parque terá capacidade para criar 25 mil empregos diretos

No começo de abril, o Governo do Distrito Federal (GDF) vai inaugurar o edifício de Governança do Parque Tecnológico de Brasília- Biotic, esse será o primeiro passo para tornar realidade de um dos projetos mais aguardados pelos empresários e entusiastas da inovação e tecnologia em Brasília. A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Economia e Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia (Sedict), com a Secretaria Adjunta de Ciência, Tecnologia e Inovação (Sacti), Terracap e a Federação das Indústrias do DF (Fibra).

O prédio que abrigará a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), também servirá de sede para startups e empresas nas áreas de tecnologia da informação, comunicação e também da biotecnologia, sendo peça chave para impulsionar o segmento na cidade.

O Biotic está sendo implantado próximo a Granja do Torto e o Parque Nacional e quando concluído terá capacidade para 1,2 mil empresas das áreas, além da geração de quase 25 mil empregos diretos. “Brasília tem um potencial tecnológico enorme, com possibilidade de ser, inclusive, referência para o mundo no segmento. A última edição da Campus Party em Brasília é prova disso, já na primeira edição se tornou uma das maiores do país, o que mostra como o assunto é relevante para a população”, afirma Thiago Jarjour, secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Ainda de acordo com o Jarjour, a instalação do parque tecnológico servirá como importante incentivo para a economia da cidade. “A inauguração do edifício de governança marca o início de um novo polo de desenvolvimento econômico para o Distrito Federal, é um passo importante para instalação e concretização do Biotic em Brasília. Além da geração de empregos, o parque tecnológico contribuirá para o desenvolvimento e negociação entre empresas e investidores, facilitando a geração de novos negócios”, ressalta.

Histórico

Em 2001 idealizou-se o projeto “Capital Digital”, que destinaria a área apenas para empresas ligadas ao setor de tecnologia da informação e telecomunicações. Em 2002, foi sancionada a lei distrital que criava oficialmente o complexo. Em janeiro do ano passado, o Governador Rodrigo Rollemberg alterou a lei para ampliar a proposta para uma espécie de “Vale do Silício” estendendo os setores abrangidos no local. Agora em fevereiro, a parte legal foi finalizada e formalizada com a criação do CNPJ do Biotic. As obras do edifício de governança já foram entregues e será oficialmente inaugurado em abril.

(diariodopoder.com, 14.03.18)

Deixe uma resposta