Biometria facial se torna obrigatória em toda a frota de ônibus do DF

Empresas tinham até esta segunda para instalar tecnologia nos veículos

As empresas de ônibus do Distrito Federal tinham até esta segunda (30) para equipar todos os veículos com os aparelhos de biometria facial. Até então, a tecnologia era usada em apenas alguns ônibus que circulavam pela capital, mas se tornou obrigatória nos cerca de 2,8 milhões de veículos do transporte público brasiliense.

A fiscalização sobre o cumprimento da medida será feita pela Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle, da Secretaria de Mobilidade. Os repasses do governo referente à gratuidade de passageiros só serão feitos a partir do uso do equipamento. Marechal, Pioneira, Piracicabana, São José e Urbi são responsáveis pelos custos das instalações.

A biometria facial faz parte do Bilhete Único, que integra o Programa de Mobilidade Urbana do DF, o Circula Brasília. Com a tecnologia, usada desde maio do ano passado, já foram suspensos sete mil cartões do Passe Livre Estudantil e de pessoas com deficiência. A medida busca reduzir o número de fraudes no sistema.

“Tivemos casos de empréstimo para familiares, pessoa sem deficiência usando a gratuidade de quem tem direito e até cartões sendo vendidos em terminais rodoviários. Se o benefício for utilizado apenas por quem tem direito, esperamos uma economia de, pelo menos, R$ 20 milhões ao ano” explica o diretor-geral do DFTrans, Marcos Tadeu de Andrade.

Como funciona

Quando o usuário passar o cartão, imagens serão captadas pela câmera e encaminhadas para um banco de dados. Se houver incompatibilidade com a foto cadastrada no sistema, uma equipe técnica avaliará a possível fraude. Após a apuração, poderá ocorrer o bloqueio do benefício. O usuário terá a possibilidade de recorrer, para verificação se houve equívoco no reconhecimento.

“Após esse bloqueio, se for estudante, o benefício só poderá ser pedido novamente no semestre letivo seguinte e, se for pessoa com deficiência, em 12 meses”, detalha o diretor-geral do DFTrans.

(diariodopoder.com, 2.05.18)