Ibaneis Rocha, governador eleito do DF, fala em criar zona de livre comércio e diz ser contra reeleição

Em entrevista ao Bom Dia DF, ele falou sobre saúde, salários e investimento no setor empresarial. Candidato do MDB foi eleito com 69,79% dos votos para suceder Rodrigo Rollemberg

O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse em entrevista ao Bom Dia DF nesta segunda-feira (29) que vai negociar com o governo federal a criação de uma zona de livre comércio no Distrito Federal.

Ele afirmou que vai conversar, ainda nesta segunda, com o presidente Michel Temer (MDB) e, posteriormente, com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para “receber mercadorias e vender, principalmente, para o Norte e o Nordeste, trazendo recursos, impostos e crescimento”.

O novo governador do DF também disse ser contra a reeleição e prometeu que fazer “uma campanha” para acabar com a regra em todo o país. “O mandato tem que ser de 5 anos e não existir reeleição. O PSDB criou esse mal com o Fernando Henrique [Cardoso] e nunca mais conseguiu reeleição.”

“É um projeto meu e vou trabalhar junto ao Congresso para conseguir aprovar.”
Questionado sobre uma possível reeleição após o fim do mandato, em 2022, Ibaneis respondeu que aceitaria ser reconduzido ao Palácio do Buriti sob a condição de ter “uma resposta muito positiva da população de que seja um ‘recall’, apenas pra renovar os votos.”

A zona de livre comércio e o fim da reeleição não são projetos de autonomia do governador do DF, mas do presidente da República. Isso significa que a aplicação deles dependerá da aprovação do Congresso e de autorização presidencial.

Ibaneis disse que escolheu saúde, segurança e educação como as três áreas prioritárias da gestão e que deve estruturar a equipe do governo “de hoje [segunda-feira] para amanhã”. Na quarta-feira (31), ele fará uma viagem a São Paulo para fazer um check-up médico.

Na primeira entrevista após o resultado das urnas, neste domingo (28), Ibaneis já afirmou que a meta seria atrair “mais de R$ 10 bilhões” em investimentos para o Distrito Federal. Ele também disse que se reuniria com o presidente Michel Temer por volta das 11h desta segunda.

“Vou me reunir com a Câmara Legislativa do DF e a Câmara dos Deputados para trazer recursos para a nossa cidade, onde eles estiverem.”

Conheça as promessas de Ibaneis para o governo do DF

Salários e investimento
O governador eleito disse que vai cumprir o pagamento da terceira parcela do reajuste salarial, prometido por Rodrigo Rollemberg. O reajuste para 32 categorias do funcionalismo público foi suspenso em 2015.

“Rollemberg teve a coragem de colocar no orçamento do ano que vem o dinheiro. Vamos estabelecer um cronograma para pagar os atrasados também.”

“Vou trabalhar pela equiparação salarial a partir de hoje.”

Sobre os repasses do governo federal, Ibaneis afirmou que “o DF tem que ser prioridade”. “Em todos os países do mundo, a capital é tratada de forma diferenciada. Nossos problemas extrapolaram o fundo [constitucional], então temos que melhorar o fundo e dar condições para que o DF se desenvolva sem essa dependência – melhorar renda sem aumentar tributos.”

“Quero ser parceiro do governo federal, mas que o governo federal seja um parceiro nosso também, porque o DF paga a conta da corrupção no país todo.”

Sem privatização
Ibaneis disse que não tem projetos de privatização “para os próximos anos”. Segundo ele, primeiro, é preciso fortalecer as empresas locais. O objetivo é incentivar o micro e o pequeno empresário e a indústria da construção civil, “liberando todos os alvarás”, disse Ibaneis.

“Quando o desenvolvimento chegar, a gente poderá passar as empresas à frente, diminuindo o Estado.”

Saúde
O governador eleito disse que ainda não decidiu quem será o secretário de Saúde, mas que deve ser alguém com capacidade de “interlocução com todas as carreiras e de unir os profissionais”. Ibaneis também falou em “transparência” na gestão.

“Li uma ação do Ministério Público do Trabalho dizendo que a contratação do Instituto Hospital de Base foi feita sem transparência. Acho que nada feito assim pode ser uma coisa boa.”

“Sem licitação, eu não quero.”
O governador eleito ainda falou sobre descentralizar a administração, para que “cada hospital tenha sua gestão de qualidade, porque o problema do Hospital do Gama é diferente do problema no Hospital de Ceilândia.”

CEB e Terracap
Ibaneis disse que pretende trazer energia limpa para o DF por meio da Companhia Energética de Brasília (CEB). “Quero fazer da CEB o maior agente gerador e distribuidor de energia não poluente, trazendo empresas de placas de energia solar.”

“Temos condições de fazer uma energia pura, nossa altitude e terreno nós dá essa vantagem.”
Segundo ele, a Terracap também precisa ser um “agente de desenvolvimento econômico” na capital, com maior participação no setor. “Tem que participar dos negócios, como criação de shoppings. Em vez de só vender terreno, tem que entrar como parceira.”

Governador eleito
Advogado, empresário e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF), Ibaneis Rocha foi eleito para governar o DF pelos próximos quatro anos, a partir de 1º de janeiro de 2019. Esta é a primeira vez que um candidato ao Palácio do Buriti recebe mais de 1 milhão de votos.

O resultado foi confirmado pelo sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 17h35, quando 80,99% das urnas já estavam apuradas. Assim como no primeiro turno, o DF foi o primeiro a confirmar o resultado da eleição para governo local.

O candidato, que nasceu e fez carreira em Brasília, passou parte da infância e da adolescência em Corrente (PI). Ele se formou em direito pelo UniCeub, se pós-graduou em processo do trabalho e processo civil, e é mestrando em gestão e políticas públicas pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa.

No plano de governo registrado no TRE, Ibaneis prometeu explorar o conceito de “cidade inteligente”, com uso de tecnologia em áreas como saúde, segurança, mobilidade, educação e meio-ambiente.

(g1.globo, 29.10.18)