Profissionais estão otimistas com mercado de trabalho, aponta pesquisa

Levantamento da Robert Half mostra que 70% dos profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas acreditam que 2019 será melhor do que 2018 em relação à criação de vagas

Levantamento da recrutadora de cargos de média e alta gerência Robert Half mostra que o índice de confiança de profissionais em relação ao mercado de trabalho atingiu o maior patamar da série, iniciada em agosto de 2017. Em sua 6ª edição, o Índice de Confiança Robert Half (ICRH) chegou a 55,3 pontos.

O indicador varia de 0 a 100 – valores acima de 50 pontos indicam profissionais qualificados confiantes. A sondagem foi conduzida pela Robert Half no mês de novembro com 1.161 profissionais, todos com nível superior e a partir de 25 anos de idade.

A melhora, segundo a empresa, vem da definição do cenário político brasileiro, que traz otimismo para a economia e mercado de trabalho quando se trata de expectativas futuras.

Todas as categorias que compõem o ICRH – desempregados, empregados e recrutadores –mostraram-se mais confiantes com os próximos seis meses. Em relação à última pesquisa, em julho, os indicadores tiveram alta no índice tanto na média consolidada quanto entre as categorias.
Sobre a situação atual, apenas a faixa dos desempregados apresentou leve queda em relação a julho.

A confiança dos recrutadores e desempregados com o futuro atingiu 57,1 pontos. A dos empregados ficou em 51,6 pontos. Já a confiança em relação à situação atual ficou em 35,2 pontos entre os recrutadores, 32,5 entre os empregados e 18,3 entre os desempregados.

“Segundo a pesquisa, 70% dos profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas acreditam que 2019 será melhor do que 2018 quando o assunto é criação de vagas. Assim, com a chegada de um novo ano, é importante ser estratégico quanto aos planos de contratação”, aponta Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half.

Dificuldade na busca por profissionais

A 6ª edição do Índice de Confiança Robert Half mostra ainda que contratar profissionais qualificados hoje é difícil (48%) ou muito difícil (9%), segundo os recrutadores respondentes da sondagem.
Para 21% dos recrutadores, esse desafio ficará ainda mais difícil nos próximos seis meses.

Crescimento em primeiro lugar

A possibilidade de crescimento é o critério mais importante para os candidatos na escolha de uma vaga, tanto para profissionais empregados (35%) como para desempregados (44%). O item salário aparece na segunda posição, com 20% e 16%, respectivamente.
Vagas temporárias em cargos de gestão

Muito comum na Europa e nos Estados Unidos, a contratação de profissionais temporários para cargos de analista a diretor tem ganhado muitos adeptos entre as empresas do Brasil.

De acordo com a 6ª edição do ICRH, os indicadores apontam confiança nesse modelo de contratação. Com relação à situação atual, o índice teve alta de 3.2 pontos percentuais. Já na expectativa para seis meses, o salto foi de 12.6 pontos percentuais, chegando ao pico histórico de 59,9 pontos.
De acordo com a sondagem com profissionais qualificados temporários, os itens remuneração, oportunidade de efetivação e desafio do projeto são os prioritários ao aceitar uma proposta de trabalho no modelo de contratação. Os profissionais também levam em consideração a opção por mais flexibilidade, acúmulo de aprendizados, possibilidade de conciliar estudos e projetos pessoais.

(g1.globo, 5.12.18)