Oito viadutos correm o risco de desabar como o do Eixão

Menos de um ano após a queda do viaduto sobre a Galeria dos Estados, no Eixão Sul, o Governo do Distrito Federal (GDF) continua tratando com descaso a manutenção de pontes e viadutos na capital do país. Depois do acidente, previsível e já alertado pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), a Corte encarregou-se de nova inspeção em todas obras analisadas em relatório divulgado em 2012.

O resultado desta nova análise é devastador: apenas três construções de um total de 11 pontes e viadutos passaram por reformas. Todos os outros ainda correm o risco de ruir e concretizar uma tragédia anunciada.

Foram identificados problemas graves e semelhantes aos que levaram ao chão o viaduto no coração da capital do país, no dia 6 de fevereiro de 2018, como oxidação da estrutura, armação exposta, fissuras, trincas, marcas de infiltração e aberturas nas juntas de dilatação.

Precisam de reparos urgentes: as pontes do Bragueto, Costa e Silva e das Garças; as tesourinhas do Eixo L na 203/204 Sul (foto em destaque), 215/216 Sul e 215/216 Norte; e as do Eixo W na 115/116 Norte. Também no Eixo W, há necessidade de restaurações no viaduto sobre a via N2.

(metropoles.com, 19.12.18)